Início » Evangelismo Urbano
Expressão da Fé

Evangelismo Urbano

Estratégias Bíblicas para Evangelismo Urbano

Estratégias Bíblicas para Evangelismo Urbano
Autor: Rev. Valdeci da Silva Santos
(Professor de Teologia Pastoral – Instituto Presbiteriano Mackenzie)

Introdução

➨ A Reforma Protestante do século XVI foi um redescobrimento da Palavra de Deus e das doutrinas da Graça

(Ver um panorama geral da Reforma)

➨ A Reforma Protestante foi, em certo sentido, um movimento popular e urbano.

Os esforços em prol da tradução da Bíblia na linguagem do povo;

É impossível estudar sobre a Reforma sem levar em conta os nome de algumas cidades associadas ao movimento

  1. Wittenberg (Lutero) ➨ Cidade da Alemanha onde Fredrerick fundou uma Universidade em 1502;
  2. Augsburgo ➨ Cidade alemã onde Lutero foi convocado para uma Dieta em 1518, onde ele e Melanchton produziram uma Confissão Luterana em 1530 e onde o Luteranismo foi oficialmente reconhecido em 1555 (A Paz de Augsburgo);
  3. Zurique ➨ (Zwínglio) Cidade da Suíça que é hoje um dos maiores centros financeiros do mundo;
  4. Strasburgo ➨ Cidade do reformador Martin Bucer, professor e mentor de João Calvino;
  5. Genebra ➨ Cidade suíça, campo de atuação de João Calvino
  • Cidade refúgio para os protestantes perseguidos pela Igreja romana;
  • Centro universitário para a formação da liderança protestante através da Academia de Genebra;
  • John Knox ➨ a mais perfeita escola de Cristo na terra desde os dias dos apóstolos.”

➨ Há muitos que acusam os reformadores de falta de interesse missionário:

  • Gustav Warneck, o pai da missiologia, 1960, Outline of a history of Protestant missions (Edinburgh and London: Oliphant, Anderson & Farrier).
  • Stephen Neil, o grande historiador americano, 1966, A history of Christian mission (Harmondsworth: Penguin).
  • David J. Bosh, sul-africano, 1996, Transforming mission (Maryknoll, NY: Orbis Book).

Quais os problemas com estas acusações?

  1. Conceitual ➨ O que é missões?  Apenas uma obra transcultural?
  2. Ignorância dos obstáculos práticos dos reformadores
    1. A tarefa de reformar a Igreja consumia tempo e energia;
    2. A ausência de contatos diretos com povos de além-mar;
    3. A luta pela sobrevivência, que só foi garantida a partir da Paz de Westfália (1648);
    4. A falta de consenso entre os protestantes ➨ Luteranos, Calvinistas-hugenotes, Anabatistas, etc.
  3. A negligência aos esforços evangelísticos utilizados
    1. A pregação da Palavra ® “pregação era uma visitação da parte de Deus – 5 sermões por semana;
    2. O uso da literatura ➨ comentários de quase todos os livros da Bíblia, exceto o livro do Apocalipse;
    3. A abertura de escolas e centros de catequese (Melanchton e Calvino – educação);
    4. A doutrina da vocação ➨ o erro de Max Weber, Capitalismo

➨ Como era o evangelismo Urbano da época da Reforma?

  1. O objetivo supremo desta obra é glorificar a Deus . . . O primeiro objetivo da pregação do evangelho não é salvar almas; é glorificar a Deus.  Não se tolerará que nenhuma outra coisa, por melhor que seja nem por mais nobre, usurpe esse primeiro lugar,” Martin Lloyd-Jones, Discernindo os tempos, 15;
  2. O único poder que realmente pode realizar esta obra eficazmente é o Espírito Santo, pg. 15
  3. O único e exclusivo meio pelo qual o Espírito Santo opera é a Palavra de Deus . . . O meio usado pelo Espírito é a verdade, pg. 16
  4. A apreensão destes princípois resulta em amor pelas almas dos perdidos, Rm 10.1-2;
  5. É mister zelar contra o perigo de usar métodos antibíblicos, pg. 16;

Lições Bíblicas

➨ Pressuposições Básicas:

  1. Urbanismo não é um fenômeno que surgiu a partir da 2a metade do séc. XX;

A cidade tem sempre se mantido como centro de integração da cultura humana;

  • O alvo do evangelismo urbano não são os estudos demográficos, e nem os desvios políticos ou espiritualizantes, mas pessoas;

Pessoas estessadas, desajustadas, famílias quebradas, conflitos de valores, desemprego, etc.

  • Qualquer estratégia a ser utilizada deve levar em considerações as características da sociedade

Não há modelo pré-fabricado;

Não é a Willow Creek, não é o modelo coreano, etc.

➨ Exemplos

Paulo em Atenas

➨ Conhecendo a cidade:

Importante centro filosófico ® a Meca dos filósofos

Cidade cosmopolitana ® o secularismo imperava

➨ Como Paulo reage?

  1. Ele tem um coração que pulsa em sintonia com o coração de Deus, vs. 16-7 ® cf. Rm 10.1-2
  2. Ele procura conhecer aqueles a serem evangelizados

Como?

  1. Relacionamentos, vs. 17
    1. Observando seus objetos de culto, vs. 23
    2. Conhecia sua literatura, vs. 28
  2. Anuncia Jesus a partir de suas preocupações emergentes, vs 23
  3. Ele percebe os sintomas concretos do desconhecimento de Deus
    1. A curiosidade doutrinária, vs 19
    2. A religiosidade acentuada, vs 22
  4. Não prega sobre o evangelho, mas prega o evangelho
    1. Conhece sua mensagem a ponto de resumi-la
    2. Apresenta aquilo que os atenienses realmente precisavam
    3. Totalmente bíblico
    4. Sem receio de ser doutrinário
    5. Experimentalmente prático
  5. Total dependêcia no Espírito Santo, vs 32-33

A confiança de que a obra da conversão pertence ao Senhor

Romanos 10

➨ O que fazer para evangelizar?

  1. Devemos ter compaixão pelas almas perdidas, vs. 1

Aqui Paulo faz um apelo do coração

9.2-3 => A preocupação evangelística de Paulo dá-lhe dor no coração

➨ O argumento hipotético -> Preferia ser um anátema se os judeus fossem covertidos

O que levaram os missionários a deixar o conforto dos seus lares para evangelizar outros povos?

  • Compaixão pelas almas
  1. Devemos conhecer a condição espiritual daqueles a serem evangelizados, vs. 2
  • Não a situação econômica, mas a situação espiritual
  • A condição dos Judeus poderia ser conhecida pela própria experiência de Paulo
  • Ele havia sido extremamente zeloso, Gal. 1.14
  • Ele havia perseguido a igreja, Gal. 1.13 e Fil. 3.6
  • Ele se diz tão zeloso quanto seus contemporâneos, Atos 22.3
  • Algumas vezes ele chegou a ser obcecado, Atos 26.9ss

Paulo poderia testificar:

  1. O zelo religioso dos Judeus

. Sinceridade não é suficiente – zelo sem entendimento

  • A confusão religiosa dos Judeus

. Eles desconheciam a justiça de Deus e procuravam estabelecer sua própria

. Calvino “O primeiro passo para se obter a justiça de Deus é renunciar a justiça própria”

  1. Devemos conhecer a mensagem a ser anunciada, vs. 4ss

. Qual mensagem?

  1. Não nossa história pessoal; – aquilo que fizemos para Deus
    1. Não as bênçãos de Cristo
    2. Não o sistema de governo de uma denominação
  • Cristo é o fim da Lei, vs. 4
  • A justiça da fé vs. a justiça da Lei
  1. Ele é acessível à nós, vs. 7-8
  2. Ele não é obtido por obras, mas pela fé, vs. 8
  3. Salvação é oferecida a todos, vs. 12

Não há distinção de raça, cor, sexo, etc.

  1. Devemos conhecer o modus operandis da salvação, vs. 9-17
  • Salvação implica em fé e confissão, vs. 9
  • As duas demandam pregação (vs. 14) => ida (vs. 15) => envio (vs. 15)

Estratégias Bíblicas para Evangelismo Urbano

Veja também:

As 95 Teses de Martinho Lutero
O Evangelho é Jesus
Sola Scriptura Somente as Escrituras

Siga o Blog Feliz no Instagram e no LinkedIn.

Sobre o Autor

Notícias Web

O Blog Feliz Compartilha Artigos e Conteúdo Web relevantes e relacionados às Áreas Temáticas de Atuação e que são destaques na web. Aqui você encontra o que de fato interessa em: Conteúdo Gospel, Destinos Turísticos, Hábitos Saudáveis e Carreiras & Finanças.

error: Conteúdo Protegido!
%d blogueiros gostam disto: