Expressão da Fé

Martinho Lutero e a Autoridade das Escrituras

Ao abordar o assunto de Lutero e a Bíblia, nós verificamos que ele conseguiu derrubar as confissões católico-romanas. A razão porque conseguiu fazer isso é que essas confissões de fé eram baseadas na tradição humana e não eram de acordo com as Sagradas Escrituras. É importante observarmos como a Bíblia tinha se perdido gradativamente e como a Igreja tinha adquirido grande poder e riqueza. Esse Poder e Riqueza tinham resultado em corrupção, assim como o Papado e o Clero se tornaram corruptos.

Vamos ver 8 escândalos que ilustram a corrupção a que chegara a Igreja Católica Romana:

  • O escândalo do Menino Papa. Ele tinha 12 anos e acabou se revelando uma “besta maligna”, vendendo o papado por uma oferta “gorda’ em dinheiro (Sec. XI).
  • O Papa Inocêncio VIII, no século XIII. Era pai de 16 filhos ilegítimos e ordenou a execução dos Valdenses que criam verdadeiramente na Bíblia.
  • O escândalo do Cisma Papal. Século XIV e XV. Três papas reivindicavam a autenticidade do seu papado. Onde fica a infalibilidade papal?
  • O escândalo da imoralidade. O celibato não funcionava de fato. Em I Tm 3:4 lemos que essa doutrina do celibato é do diabo. Todos sabiam que os sacerdotes eram imorais; era um escândalo dos maiores.
  • O escândalo da idolatria. Eles conferiam às relíquias um poder supersticiosamente grande e da mesma forma aos ídolos. Isso pode ser observado em catedrais e igrejas romanas ainda hoje. Pessoas indo de santo em santo, de ídolo em ídolo para rezar e dando homenagem especial à Maria.
  • O escândalo das guerras das Cruzadas. A maior relíquia era a cidade de Jerusalém que estava em poder dos muçulmanos e então foram organizadas guerras, que tiveram o nome de cruzadas onde milhares de pessoas foram exterminadas. Perguntamos: desde quando Jesus nos mandou sair matando pessoas? Isso era uma coisa sem precedentes. A população muçulmana ainda não se recuperou deste trauma. É uma mancha tremenda na história da Igreja.
  • O escândalo da Inquisição. Thomas Tacomado foi o chefe da Inquisição na Espanha e fez com que 10 mil pessoas fossem queimadas, presas a um poste. Procurava aliciar judeus sem nenhum escrúpulo, para se tornarem cristãos. Desde quando Jesus mandou que nós deveríamos forçar pessoas a se tornarem cristãs na base da espada? Será que Jesus sugeriu que nós deveríamos ameaçar as pessoas de serem queimadas vivas se não se tornassem cristãs? Isso foi algo terrível!
  • As Indulgências. A salvação comprada por dinheiro nos leva a Lutero e à Reforma. Ele sentiu-se ofendido com Tetzel e a venda de indulgências. Tetzel era o mais talentoso vendedor de indulgência. O dinheiro arrecadado era dividido com os banqueiros da época e com o papa, mas uma parte fica para o próprio Tetzel. Desta forma Lutero conseguiu ver que as almas estavam sendo enganadas quanto à salvação. Desde quando podemos comprar salvação com dinheiro? Isto foi o que proporcionou o pontapé inicial da Reforma.

Na Reforma nós encontramos 3 eventos principais:

As 95 teses de 1517. Foi o protesto contra as indulgências.

A queima das leis (bulas) católico-romanas. Isso aconteceu quando Lutero foi excomungado pelo papa em 1520.

A posição firme de Lutero diante do Rei Carlos V em 1521.

Se entendermos estes três eventos, vamos compreender a Reforma.

Primeiro Evento

Na venda das indulgências havia variedades de preços. Para se certificar de que tiraria dinheiro do bolso do povo, Tetzel criou um meio de atingir os ricos e os pobres. Quem era rico, dava mais, quem era pobre dava menos, porém todos davam. Lutero ficou enfurecido com isso e desenvolveu, à partir das Escrituras, 95 teses mostrando razões pelas quais essa prática era inaceitável. Mas as 95 teses também eram a respeito da salvação. Era como se fosse uma exposição bíblica do assunto. Ele pretendia que as 95 teses fossem uma plataforma para debate do assunto. Por isso pregou-as na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg. Estavam escritas em latim e constituíam um convite para um debate sobre o assunto. A imprensa escrita já havia sido inventada por Gutemberg e a esta altura já havia jornalistas nessa época. Cada um deles pegou uma cópia e a traduziu para o alemão moderno da época, vendendo-as a muitas pessoas. Em duas semanas estes escritos estavam espalhados por toda a Europa. Os alemães, especialmente, foram muito tocados por essas 95 teses e a venda de indulgências caiu tremendamente. Ora, se você acerta o bolso de um homem, realmente isso lhe dói bastante e profundamente.

Os líderes católicos estavam muito preocupados e algo extraordinário havia acontecido. Lutero havia chamado a atenção das pessoas para as Escrituras, havia alertado as pessoas para a autoridade da Bíblia. As indulgências eram contra a Bíblia. Lutero havia puxado a corda do sino que acordara o mundo! Depois de mil anos a Igreja estava agora acordada para a realidade. De repente Lutero se tornou conhecido por toda a Europa e teria de responder por suas ações. Felizmente ele tinha um amigo, o príncipe Frederico, o qual tinha muita influência política. Dessa forma, na hora que se fazia necessário, ele vinha em defesa de Lutero. Porém, ainda assim, Lutero teve de prestar contas ao Cardeal. Ele achava que iria ser martirizado e que fariam com ele o mesmo que fizeram com John Huss, quando o queimaram vivo.

Como resultado dos debates, outros escritos surgiram. Quanto mais eles desafiavam o reformador, mais ele escrevia. Frederico, o príncipe, havia tido um sonho e nele viu um sacerdote que era Lutero. A caneta de Lutero ficava cada mais longa, de tal maneira que atingia Roma e tirava o chapéu do papa. Isso foi exatamente o que aconteceu. Os livros de Lutero começaram a se espalhar e espalhar o Evangelho. Ele começou a expor os abusos da igreja católica. Expôs a doutrina da justificação pela fé somente, e enfatizou o sacerdócio de todos os crentes. Essas publicações venderam muitos números e todo mundo queria adquirir um exemplar. Um livro leva a outro e todos eram expositivos no seu estilo.

Segundo Evento

O papa teve de tomar uma medida drástica e apelou para a excomunhão de Lutero. Isso nos leva ao segundo evento da Reforma. O fato de ser excomungado da igreja era uma coisa muito séria. Havia toda uma papelada necessária e que era muito grande, todas com o selo papal e uma oração que dizia: “Levanta-te Senhor contra este porco que invadiu Tua vinha”. Essa linguagem irritou a Lutero que ficou ainda mais irado. A excomunhão fazia também com que ninguém tivesse o direito de ler os livros de Lutero e todos que os lessem corriam o risco de vida. A excomunhão de Lutero foi projetada de forma que as pessoas não mais lessem seus livros. Mas havia um pequeno espaço de tempo de “misericórdia”, pois teria 60 dias para se arrepender de tudo. Ele criam que nesse prazo Lutero voltaria arrependido. Foi um grande erro deles, porque a cada dia que se passava Lutero ficava mais irritado.

No 60º dia Lutero organizou um evento grandioso. Juntou todos os professores da Universidade, os alunos e todos os amigo e anunciou que haveria uma cerimônia de “queima” de alguma coisa. Na cidade de Wittenberg havia um portão através do qual saía todo o lixo da cidade. Lutero pediu que fosse construída uma grande fogueira do lado de fora da cidade. Os professores e alunos e todos que estavam ali fizeram como que uma procissão cerimonial e juntaram todas as leis da igreja católica, leis papais, bulas papais que havia se acumulado durante séculos. Leis que amarravam e amarram as consciências dos homens. Todo aquele ensino católico romano que era destinado a fazer com que os homens ficassem escravizados àquelas leis. Todos estes livros foram levados por aqueles que estavam à frente da procissão, atravessaram o portão da cidade e chegaram à fogueira. Lutero ordenou que todos estes livros fossem jogados à fogueira, um após os outros e que dessa forma representavam as leis e tradições que haviam se acumulado através dos séculos, mantendo as pessoas escravas. Quando estes livros estavam na fogueira, Lutero tirou do seu hábito o decreto papal, o documento da excomunhão, jogou-o na fogueira e disse: “Já que vocês destruíram a verdade de Deus, que o Senhor consuma vocês nestas chamas”. Foi um ato de muita coragem, preparado para que as pessoas tivessem ousadia e coragem. Dessa forma Lutero se tornou corajoso e povo também. Assim, quando o papa mandou emissários para impor nova excomunhão a Lutero, esse povo os expulsou. Foi um quadro muito interessante ver os emissários do papa fugindo. Foram recebidos com paus e pedras o que serviu de “prato cheio” para os chargistas da época. No entanto temos de ver um princípio importante aqui. Lutero estava usando a autoridade das Escrituras para destruir a tradição.

Nós precisamos nos lembrar o que Jesus disse aos fariseus: vocês destruíram a Palavra de Deus com as suas tradições. Isso foi exatamente o que Lutero disse. A Palavra de Deus é a verdade e precisamos destruir a tradição humana libertando as pessoas. Então um movimento grandioso se espalhou. A igreja fez de tudo para tentar amarrar Lutero, mas a cada tentativa de fazê-lo retroceder, havia fracasso. Só havia um método que faltava e a igreja católica apelou para ele, o poder político de Carlos V que era o imperador e na realidade representava o poder civil e a igreja. Então ele recebeu ordens para comparecer diante de Carlos V e isso foi organizado na cidade de Worms, onde seria Lutero julgado diante do Imperador. Eles tinham certeza de que Lutero iria fraquejar diante do imperador, pois pensavam que seu sistema nervoso não suportaria a pressão.

Terceiro Evento

Aqui chegamos ao terceiro evento da Reforma: Lutero diante do imperador. Ele pensou que jamais sobreviveria a tudo aquilo. Viajou com alguns amigos para a cidade de Worms e quando chegou à cidade, mais de 2.000 simpatizantes vieram encorajá-lo. Ele chegou e ficou diante do Imperador. Todos ficaram surpresos, pois Lutero disse que precisava de mais tempo para pensar e considerar as questões colocadas diante dele. Alguns pensaram que ele estava começando a fraquejar. Lutero deveria comparecer no outro ia diante do imperador. Havia tanta gente interessada neste evento que eles tiveram de ocupar o auditório mais amplo que havia na cidade. No dia seguinte, Lutero apareceu. Sobre a mesa estavam todos os seus livros e exigiam dele que tirasse todos aqueles livros dali e os renegasse a todos. O homem que o interrogava chamava-se John Eck e era um homem muito eloqüente. Ele perguntou a Lutero como ousava desafiar toda a igreja e como podia concluir o único certo e todos os demais errados; como todos os papas podiam estar errados, todos os cardeais, toda a história da igreja? Será que Lutero podia desafiar a todos eles? Não seria a hora de Lutero negar todos aqueles escritos e confessar que estava errado?

Mas Lutero tinha uma capacidade muito grande de argumentar e colocar a sua defesa. Ele disse que não conseguia encontrar nada em seus livros que fossem de encontro à Bíblia. Lutero disse que achava Ter dito algumas palavras duras a respeito de algumas pessoas, alguns líderes, mas que havia boas razões para ter feito aquilo e mesmo isso não ia de encontro à Bíblia. “Por que tenho de negar estes livros e retirá-los?” , perguntou Lutero. Então John Eck disse-lhe: “Se seus primeiros livros foram ruins, os últimos são piores ainda. Você precisa renunciar agora a sua heresia. Você é a mesma coisa que Wycliffe e Huss; agora, será que você, sem muitas desculpas, nega os seus livros e os retira? É o momento de sua última chance de renunciar aos seus erros. Negue estes livros!”. Lutero se dirige ao Imperador e a todos aqueles líderes que estavam ali e responde: “Não vou usar de mais argumentos e a menos que seja convencido pela Bíblia, não aceito a autoridade papal, nem os concílios de tradição católicos. Todos eles se contradizem. Minha consciência está cativa à Palavra de Deus. Tudo que posso fazer é não negar os meus livros, pois não posso ir de encontro a minha consciência. Ajuda-me Senhor Deus! Amém.”

Houve um tremendo silêncio naquele lugar. Lutero havia ido de encontro a mil anos de tradição da igreja, contra os papas e desafiava até o Imperador. Eles o deixaram livre. Os italianos que ali estavam começaram a ranger os dentes pois o odiavam, mas à medida que saía daquele lugar, os alemães batiam palmas para ele. Antes que Lutero saísse, aqueles líderes exigiram que ele fizesse sua defesa em latim e ele o fez repetindo cada palavra em latim. Dessa forma havia uma dupla ênfase sobre a verdade defendida. Certo autor tem dito que essa, talvez, tenha sido a hora mais brilhante na história da raça humana. Talvez seja um exagero, mas fica próximo da verdade. Foi realmente um evento memorável.

Quando Lutero ia chegando àquela cidade de Worms, ele disse: “Mesmo que todas as telhas dos telhados da cidade fossem demônios, ainda assim, eu iria àquela cidade”.

Porém, nós precisamos fazer aplicação destas verdades para nós mesmos. Vejo três áreas de aplicação aqui:

– A Bíblia e o desafio de Roma.

– A Bíblia e o desafio das novas revelações.

– A Bíblia e o desafio do modernismo.

Primeiro vemos que a Igreja Católica continua em nosso meio e tem na América Latina seu grande campo de evangelização. Mas nós temos a Palavra de Deus como nossa arma poderosa, nossa espada de dois gumes que é apta para fazer em pedaços todas as tradições humanas. Nós precisamos fazer como os reformadores, que tinham ousadia e coragem. É possível que o Brasil possa ser libertado de toda espécie de tradições católicas.

Vamos ver algumas tradições católicas que foram adicionadas e se acumularam ao longo dos séculos, mas continuam presentes ainda hoje, isso porque a Igreja Católica não nega nenhuma delas.

Ano 300 – Orações pelos mortos;

Ano 375 – Veneração de imagens;

Ano 593 – Doutrina do Purgatório;

Ano 600 – Reza à Maria, aos santos que já morreram e aos anjos;

Ano 1050 – Sacrifício da missa;

Ano 1079 – Doutrina maligna do celibato obrigatório;

Ano 1190 – Venda de indulgências;

Ano 1215 – Doutrina da transsubstanciação;

Ano 1414 – O cálice da eucaristia foi tirado do povo e este não mais o tomava;

Ano 1546 – Adição de livros apócrifos (depois de 1500 anos, como podiam fazer qualquer adição às Escrituras?);

Ano 1870 – Infalibilidade papal;

Ano 1950 – Ascensão corporal de Maria.

A igreja católica jamais negou estas tradições. Mesmo assim mudou alguma coisa. Em 1964 houve uma mudança dramática, pois agora ela é pluralista. As pessoas podem ser salvas através de várias religiões diferentes. Isso trouxe um pânico dentro da igreja católica, pois até então ela achava que você só poderia ser salvo se fizesse parte dela, os demais estariam perdidos. Mas, o que a Bíblia ensina sobre isso? Somente aquilo que estão em Cristo podem ser salvos, não há salvação em nenhum outro nome, senão o de Cristo Jesus. Nunca a Bíblia limita a Sua Igreja à uma denominação, nem tão pouco indica outro caminho para o homem ser salvo senão Cristo. Esta mudança na igreja católica vem provar que ela não é infalível e transforma esta idéia de infalibilidade em uma completa loucura.

Segundo, temos que considerar a Bíblia e o desafio das novas revelações. Depois de ser julgado pelo imperador, Lutero voltou para casa. Porém, para protegê-lo de ser morto na sua viagem de volta, houve um “seqüestro amigável” quando o levaram para um lugar secreto onde foi guardado em segurança – o Castelo de Wartburg. Assim não o matariam. Neste lugar Lutero faz a tradução da Bíblia para o alemão.

Havia muita encrenca em Wittenberg, pois alguns “profetas carismáticos” haviam chegado e estavam gerando confusão entre os líderes e o povo da cidade. Havia três líderes este movimento e por isso Lutero teve de voltar. Eles diziam Ter revelações especiais de Deus, uma espécie de “linha telefônica direta” com deus. Esta tem sido hoje a forma de muitos reivindicarem autoridade para si: “Deus me falou e eu posso transmitir para você o que Ele está dizendo porque é só pegar o telefone”.

Estes homens geraram muita divisão e introduziram doutrinas fanáticas entre o povo. Lutero teve de voltar e pregar a Palavra de Deus dizendo do fanatismo destes homens e afirmar que a reforma tinha de se estabelecer, se estabilizar. Nós temos os mesmos problemas hoje! E a forma que se tem achado para se obter crédito é dizer: “O senhor me disse”. É o caso de um jovem crente apaixonado por uma descrente. Então ele diz: “Deus me disse que eu posso casar com ela.” Ora, isso é o oposto do que a Bíblia diz. Dessa forma você pode ir fazendo acréscimos como quiser.

Mas nós cremos que a palavra de Deus é completa e o final da época apostólica é o final da revelação. As pessoas nos desafiam a provar isso através da Bíblia e eu vejo duas passagens no V.T. que dizem que as revelações cessaram: Daniel 9:24 e Zacarias 13: 1-5. É algo dado no contexto messiânico e a verdade é dita que com a vinda do messias isso trará ao final a revelação. O Pai disse amém a tudo o que o Filho Jesus fez. Nós não precisamos de nenhuma revelação extra. Estas revelações têm o propósito de nos desviar da Palavra de deus e onde se começa a dar ouvidos a estas revelações extra-bíblicas, o interesse pela palavra diminui. Hoje em dia muitos cristãos se firmam na base de sensações. Soube até de batistas na Argentina que organizaram uma conferência onde o tema era “BÍBLIA OU EXPERIÊNCIA?” e chegaram a conclusão que a experiência está em primeiro lugar e a Bíblia em segundo. Ë uma tremenda falta de bom senso pois toda experiência deve estar abaixo da Bíblia, sob o crivo da Palavra. Nós não estamos negando o lugar da experiência, mas ela precisa ser testada pela Palavra. A verdade é que quando as sensações chegam, as pessoas são logo atraídas por elas. Nesse caso, seu amor não é pela Palavra mas a mente fica cativa às sensações.

Isso enfraquece tremendamente a Igreja e arruina a vida familiar também. A Bíblia nos ensina como devemos viver em amor e paz uns com os outros. Os maridos devem lembrar todos os dias a amarem suas esposas, mas eles não poderão fazer isso se estiverem só correndo atrás de novas sensações. Lutero experimentou a mesma coisa que temos hoje em dia, mas ele usou a Bíblia para derrubar a tradição católica e também os falsos carismáticos e restaurar a ordem à cidade de Wittenberg.

Chegamos a terceira aplicação. A Bíblia e o desafio do modernismo e da incredulidade. A Igreja tem sofrido muito nos últimos cem anos por causa da reivindicação da ciência. A tendência moderna é negar o sobrenatural, tudo é racionalista na mente humana, mas a Bíblia é um registro dos atos sobrenaturais de Deus. O remover do povo de Israel do Egito foi um ato sobrenatural; a inscrição dos dez mandamentos naquelas tábuas de pedra foi um ato sobrenatural; a encarnação do senhor Jesus Cristo foi um ato sobrenatural; Suas obras poderosas e sua ressurreição foram atos sobrenaturais. É o poder todo poderoso do nosso Deus. Temos de reconhecer que Deus criou tudo pelo poder da Sua Palavra. Mas agora nós temos o ensino da teoria da evolução e muitos crentes fraquejam neste ponto pela pressão da sociedade que exige a evolução como metodologia. Agora está sendo reconhecida como não ciência, sendo apenas uma teoria e os cientistas estão tendo de corrigir algumas coisas que eles já disseram. Mas Deus não tem nada a corrigir. O que Ele disse é a verdade e por isso temos de ficar com a autoridade das Escrituras. Se os cientistas dizem que a Bíblia está errada, nós mandamos eles de volta para seus laboratórios, pois precisam pesquisar mais e muitas vezes chegam a mudar de idéia e no tempo certo acertam o que erraram antes.

Aqueles cientistas que hoje já rejeitam a evolução, que não crêem em Deus, fazem a sugestão de que certos pingos vieram do céu, fórmulas de DNA que vieram através do céu e misteriosamente caíram na terra. Isto é conto de fada. Vamos permanecer com a Palavra de Deus pois Ele é coerente, consistente. Não é apenas o Gênesis que nos fala da criação. O salmo 33 também nos fala e o próprio Jesus confirma a criação; o apóstolo Paulo em Romanos 5 fala sobre Adão, o primeiro homem. A Bíblia é completamente coerente com tudo isso, com todos estes assuntos. Nós não devemos permitir que a pressão nos assuste e com as Escrituras vamos ensinar a todas as nações e enchê-las das verdades bíblicas. Há promessas na Bíblia de que a terra será cheia da verdade; isso será na medida que tivermos confiança na Bíblia. Que confiança maravilhosa! Lutero tinha a Bíblia e com ela pôde empurrar e derrubar toda a força dos papas da igreja católica. Por isso tenhamos coragem também para evangelizar e sempre que nos depararmos com material antibíblico temos que usar a Palavra da Verdade, pois nela há poder.

Irmãos, vamos nos levantar com a Palavra de Deus e espalhar a Sua verdade por toda parte para GLÓRIA DE DEUS E DO SENHOR JESUS CRISTO. Amém!

Sending
User Review
0 (0 votes)
Booking.com

Sobre o Autor

Blog Feliz

Perfil Oficial do Blog Feliz.
O Blog Feliz compartilha Artigos e Conteúdo Web relevantes e relacionados à Turismo, Fé Cristã e a Viver Feliz; e que são destaques na web. É administrado por Angelo Dias: Fundador, Gestor Executivo e Publisher do Blog Feliz.
A Autoria de Textos, Imagens e Vídeos de Terceiros, quando reconhecida, é prontamente atribuída ao respectivo conteúdo compartilhado pelo Blog Feliz. Quando a Autoria não é muito clara e/ou desconhecida, ao conteúdo correspondente é atribuído como "Autor Desconhecido".
Para maiores informações sobre as nossas Publicações, consulte nossos Termos de Uso.

Tópicos

Destaques

Patrocinado

  • Booking.com
  • Booking.com
error: Conteúdo Protegido!